quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

James Leininger o garoto prova da Reencarnação


O assunto reencarnação pode trazer muita polemica, há aqueles que têm sua fé depositada na reencarnação, aqueles que não acreditam de jeito nenhum e aqueles que não duvidam. Mas um caso de reencarnação real poderia mudar a opinião dos descrentes e fortalecer a existência do mesmo?
Morto em Guerra
O início do caso começa no fim, sessenta anos atrás um piloto da marinha norte-americana de apenas 21 anos foi abatido durante uma batalha na segunda guerra mundial. Estamos falando de guerra, de soldados, e se tratando de segunda guerra mundial já podemos imaginar quantos norte-americanos foram mortos.
Este não teria nada de especial dos outros soldados, se não fosse pelo fato de que um garoto de seis anos conseguiria trazer de volta a sua história, esse garoto era James Leininger.
Lembranças de uma vida passada
O pequeno James era apaixonado por aviões, era o único tipo de brinquedo com que ele brincava de verdade, era simplesmente apaixonado. Acontece que essa conexão com uma vida passada era bem pesada para o menino, em muitas e muitas noites, o garoto tinha pesadelos com queda de aviões, sua mãe pode ouvi-lo falar coisas como “Avião em chamas, o pequeno homem não consegue sair”.
Sua linguagem de guerra era muito precisa para um garoto daquela idade, ainda mais um garoto que nunca teve acesso a esse tipo de conteúdo, já que seus pais sempre incentivaram que ele só assistisse a programas infantis.
James foi crescendo, aos seus 3 anos sua mãe percebeu que em um vídeo, James estaria fazendo uma verificação pré – voo de um avião na qual eles foram visitar. Ao receber de presente um avião de brinquedo, sua mãe teria comentado com o garoto de que parecia que tinha uma bomba no avião, e ele a corrigiu dizendo que se tratava do tanque externo de combustível.
A procura de uma ajuda profissional
Conforme o garoto foi crescendo, os seus pesadelos relacionados a abatimento na guerra foram ficando mais frequentes, dessa vez aconteciam de 3 a 4 vezes por semana. Saber o que fazer, a mãe de James foi aconselhada pela vó do garoto a leva-lo a uma terapeuta, Carol Bowman, uma especialista em assuntos de reencarnação.
Logo de início, Bowman sabia que o “problema” do garoto se tratava de um caso de memorias de uma vida passada, e indiciou para que os pais e a família estimulassem o garoto a compartilhar estas memorias. Desta forma, o garoto passou a ter menos pesadelos e com o tempo conseguia falar mais abertamente sobre o assunto.
A terapeuta explicou que nessa idade é mais conseguirmos ter lembranças da vida passada, isso porque a cultura social que vivemos na vida presente ainda não enraizou em nós, diminuindo as chances de haver um bloqueio.
Os indícios de que James teve a sua vida passada como um piloto de caça foi ao falar a sua mãe, um pouco antes de dormir, que ele pilotava um Corsair que tinha seus pneus constantemente esvaziados.
Historiadores e especialistas de aviação admitiram que os Corsair daquela época realmente tinham esse problema com os pneus, mas ainda não foi o suficiente para levarem o assunto a sério, já que essa informação poderia ser facilmente encontrada.
Se encontrando com o passado
Em uma das vezes que James contará sobre suas memorias da vida passada, ele disse ao seu pai que antes de ser abatido ele saiu de um porta-aviões chamado Natoma, e que tinha um amigo chamado Jack Larson. O pai de James descobriu que o porta-aviões realmente existia, assim como o amigo Jack.
Foi quando Bruce, pai de James, começou a pesquisar mais afundo sobre o que filho havia lhe dito, junto com a informação de que James havia lhe dado de que ele fora abatido em Iwo Jima. Por sorte da pesquisa, somente um piloto foi constatado como morto ao ataque de Iwo Jima, Bruce descobriu que seu nome era James M. Houston Jr.
James havia dito que o avião foi abatido graças a um míssil que foi atingido bem no motor do caça que ele estava.
Bruce encontrou Ralph Clarbour, que estava presente no momento em que o caça de James Jr foi abatido.
Sem saber o que o pequeno James havia dito, Ralph afirmou “acredito que ele foi atingido bem no motor”.
Anne Barron é irmã de James Jr e ao saber da história do menino acreditou que se tratava da reencarnação do irmão, foi até feito um encontro entre os dois.
Aqueles que não acreditam dizem que pode se tratar de uma grande coincidência, será?

Descoberta da Mediunidade



 “Se te achar na situação de ter descoberto a faculdade mediúnica em ti, não deixes que tua mente seja violentada pela perturbação. Inicia o teu roteiro de bons serviços, com a disposição de entender o que se passa contigo. Então, estuda. Ao prosseguir fiel aos estudos, começarás a sentir a necessidade de ser útil. Então, apresenta-te para o trabalho, com simplicidade, com modéstia. A partir desse momento, com a compreensão de quem tu és no campo aberto do mundo, estarás em condições de empreender a marcha do próprio progresso, tornando-te apto a experimentar a coroa de espinhos de Jesus, mas, também, ver-te-ás capacitado a respirar o clima dos luminosos Numes que cooperam com Ele, impulsionando o progresso do mundo.”

Camilo
Psicografia de Raul Teixeira
Livro Desafios da Mediunidade, 

OS 51 SINTOMAS DO DESPERTAR ESPIRITUAL



1. Mudança no padrão de sono
Perturbações durante o sono, pés quentes, acordar duas ou três vezes durante a noite. Sentir-se cansado e com sono depois de acordar. Adormecer e acordar durante o dia. O Padrão de 3 Sonos, que acontece frequentemente a muitas pessoas caracteriza-se por: dormir cerca de 2-3 horas, acordar, voltar a adormecer mais 2-3 horas, acordar de novo, voltar a adormecer mais 2-3 horas. Outras pessoas viram alterarem-se as suas necessidades de sono, passando a dormir menos. Ultimamente, algumas pessoas sentem enormes ondas energéticas percorrendo o seu corpo a partir do coronário (centro energético no alto da cabeça). Estas ondas podem afetar o sono.
Conselho: Habitue-se. Pacifique-se com essa energia e não se preocupe se não dormir o suficiente (preocupação que, por vezes, pode causar mais insônia). Será capaz de suportar bem o dia se pensar que tem a quantidade certa do que necessita. Também pode pedir ao seu Eu Superior que, de vez em quando, lhe dê um intervalo para poder ter um sono reparador. Se, durante a noite, não conseguir adormecer, aproveite esse tempo para meditar, ler poesia, escrever o seu diário ou olhar para a Lua. O seu corpo ajustar-se-á ao novo padrão.
2. Atividade do chakra coronário (alto da cabeça)
Sensações de tilintar, comichão, formigamento e arrepios no couro cabeludo e/ou na coluna. Sensação de vibração energética no topo da cabeça, como se a energia jorrasse em chuveiro. Poderá sentir pressão na coroa, como se alguém estivesse a pressionar um dedo contra o centro da cabeça. Como referido no ponto 1, vivemos enormes carregamentos de energia através do chakra coronário. Podemos sentir uma pressão mais generalizada, como se a cabeça estivesse dentro dum aparelho muito suave.
Conselho: Não se assuste. Trata-se da abertura do chakra da coroa. Tais sensações dizem-lhe que você está aberto a receber a energia divina.
3. Repentinas ondas de emoção
Choro convulsivo. Inesperadamente, sente-se zangado, deprimido, triste ou muito infeliz à mínima provocação. Emoções à solta. Muitas vezes a pressão ou as emoções congestionadas são sentidas no chakra do coração (no centro do peito), o que não deve ser confundido com o coração, localizado à esquerda do chakra do coração.
Conselho: Aceite os seus sentimentos como surgem, abençoe-os e deixe-os partir. Sinta a conteúdo emocional da energia no chakra do coração. Expanda-a para todos os seus campos e respire profundamente, desde o umbigo até a parte superior do peito. Sinta a emoção e deixe-a evaporar-
se. Não dirija as emoções para ninguém. Você está limpando o passado. Se necessitar de ajuda, diga em voz alta que pretende largar todo esse velho material e peça ajuda ao seu Eu Superior. Também pode pedir aos Anjos da Graça (energia branco cristal) que o ajudem a soltar estas emoções, fácil e suavemente. Agradeça por o seu corpo estar soltando estas emoções, não as retendo dentro de si, o que poderia provocar danos. Uma das nossas fontes sugere que a depressão está ligada às relações de «deixar ficar como está», de relações pessoais, profissionais, etc. que já não servem nem a nós, nem às nossas frequências.
4. Clarificação de carma
Velhos conteúdos parecem estar ressurgindo, como descrito acima, ressurgindo em sua vida as pessoas envolvidas nesses episódios. Casos de encerramento de processo. Ou talvez você precise trabalhar o seu amor-próprio, abundância, criatividade, apegos, etc. Começarão a aparecer os recursos ou as pessoas de que necessita para auxiliar neste trabalho.
Conselho: O mesmo do que para Ponto 3. E ainda: não se envolva demasiado na análise destas situações, pois isso fará com que volte para eles, novamente, cada vez a níveis mais profundos. Peça ajuda de um terapeuta, se necessitar, e avance. Não tente evitar nem «passar ao lado» destas «memórias». Abrace o que aparecer e agradeça por isso contribuir para o seu desenvolvimento. Agradeça ao seu Eu Superior por lhe dar a oportunidade de se livrar destes «resíduos». Lembre-se, você não quer que eles continuem no seu ADN.
5. Alteração no peso corporal
O excesso de peso adquirido pela população é, em geral, extraordinário. Outros setores da população podem, pelo contrário, estar perdendo peso. Geralmente, ganhamos peso porque muitos medos reprimidos estão voltando para serem tratados. Reagimos construindo defesas, tentando ancorar-nos ou obter massa corporal, de forma a não permitir que a frequência no corpo aumente.
Conselho: Não seja teimoso. Aceite isto como um sintoma do que está se passando com você. Perderá ou ganhará peso, quando todos os seus medos forem integrados. Solte a sua ansiedade. Depois, talvez constate que será mais fácil perder ou ganhar peso.
Exercício: Antes de começar a comer, experimente o seguinte: sente-se à mesa, posta com um aparelho de louça bonito. Acenda uma vela. Aprecie a aparência da comida. Coloque a sua mão dominante no coração e abençoe o alimento. Diga ao seu corpo para usar o alimento para se alimentar corretamente, em vez de usar a comida para alimentar as suas zangas emocionais. Depois, passe a mão, da esquerda para a direita, por cima do alimento, abençoando-o. Poderá notar que a comida parece quente à sua mão, mesmo que seja um prato frio. Repare que quando abençoamos a comida, não comemos tanta quantidade. Outra coisa que poderá fazer enquanto come é não ver TV ou ler. Aprecie saudavelmente a bênção que está à sua frente.
6. Mudanças nos hábitos alimentares
Desejos estranhos e escolhas esquisitas. Há quem sinta mais fome ou menos fome do que anteriormente.
Conselho: Não negue o que o corpo lhe pede. Se não tiver a certeza, tente provar antes de escolher, para ver se é isso o que o corpo quer. Tente também abençoar os alimentos, como descrito no ponto 5.
7. Intolerância e alergias a certo tipo de alimentos, que nunca teve antes.
Conforme vai crescendo espiritualmente, você se torna mais sensível a tudo o que o rodeia. O seu corpo dir-lhe-á o que já não tolera, como se também ele estivesse rejeitando o que já não lhe serve. Pode estar se limpando de toxinas. Certas pessoas descobrem um resíduo branco na boca, parecido com a baba de corredores no fim de uma corrida.
Conselho: Isso pode ser retirado esfregando 2 colheres de azeite na boca, durante 10 a 15 minutos (não engula); depois cuspa para o vaso sanitário – não para o lavatório. Escove os dentes e, depois, limpe a escova.
8. Amplificação dos sentidos. Aumento de sensibilidade.
a) Perturbação na visão, objetos tremeluzentes, observação de partículas brilhantes, visão de auras em pessoas, plantas animais e objetos. Alguns relatam ver como transparentes os objetos normalmente opacos. Quando fecha os olhos já não vê escuridão, mas vermelhidão. Talvez veja formas geométricas, cores brilhantes e quadros quando tem os olhos fechados. As cores aparecem mais vivas. O céu pode parecer tingido ou a relva ter um verde espantoso. Conforme vai se tornando mais sensível, poderá ver formas ou riscos no ar, especialmente quando o quarto estiver mais escuro. Poderá ver formas brancas na sua visão periférica, quer com olhos abertos, quer com eles fechados.
Conselho: A sua visão está mudando de várias maneiras; está conhecendo novas formas de ver. Seja paciente. Aconteça o que acontecer não se assuste. Visões nebulosas podem ser aliviadas desviando o olhar.
b) Aumento ou diminuição na capacidade auditiva. Audição de ruídos na cabeça, como «bips», sons, música ou sons eletrônicos. Há quem ouça água correndo, zunidos, barulhos ou toques. Há quem tenha o que se chama dislexia auditiva, ou seja, nem sempre consegue perceber o que os outros estão dizendo, como se não conseguisse entender a sua própria língua. Algumas pessoas ouvem vozes estranhas em sonhos, como se alguém lhes estivesse gritando ao ouvido. Nestes casos pode pedir a «isso» para ir-se embora, ou pedir ao plano angélico para tomar conta da situação. Mais uma vez, não há nada a temer.
Conselho: Renda-se. Deixe ir. Ouça. Os seus ouvidos estão se ajustando a novas frequências.
c) Intensificação do sentido do olfato, tato (toque) e/ou sabor. Há quem se aperceba de que passou a conseguir detectar o cheiro e o sabor dos aditivos químicos em alguns alimentos, de uma forma bastante desagradável.
Por outro lado, alguns alimentos passam a ter um sabor maravilhoso. Para algumas pessoas, esta intensificação dos sentidos é tanto maravilhosa como divertida. Pode ser possível cheirar a fragrância de flores aqui e ali. Muitos místicos fazem-no. Aproveite.
9. Erupções da pele: borbulhas, inchaços, acne, urticária e herpes.
A ira produz perturbações à volta da boca e queixo. Certa pessoa teve uma dermatite nas extremidades durante vários meses, enquanto curava um episódio do seu passado. Quando saneou a maior parte desse material, o problema foi resolvido.
Conselho: Poderá estar deixando sair toxinas e trazendo emoções à superfície. Quando existe material que deve ser liberado e você tenta reprimi-lo, a sua pele expressará a situação por si, até que se decida a trabalhar as emoções.
10. Alternância entre vigor e cansaço
Episódios de energia intensa que o fazem querer saltar da cama e agir, seguidos por períodos de letargia e cansaço. O cansaço, normalmente, segue-se a grandes mudanças. Aceite, pois este é um tempo de integração.
Conselho: Flua com a natureza da energia. Não a combata. Seja gentil consigo. Durma a sesta, se estiver cansado. No caso de sentir muita energia e não conseguir dormir escreva pensamentos ou um romance. Tire vantagem do tipo de energia.
11. Alterações na oração ou na meditação
Talvez não sinta as sensações habituais. Não tem a mesma experiência no contato com o Espírito. Dificuldade em concentrar-se.
Conselho: Talvez tenha passado a estar em comunhão com o Espírito mais frequentemente e durante mais tempo. A sensação pode ser diferente, mas acabará por se adaptar a ela. Na verdade, você passou a pensar e agir em conformidade com o Espírito. Poderá notar que os seus períodos de meditação são agora mais curtos.
12. Ondas de energia
De repente, sente-se percorrido por energia da cabeça aos pés. É uma sensação momentânea e pouco confortável. Por outro lado, algumas pessoas sentem um frio inexplicável. Se você for um trabalhador de energia, deve ter reparado que o calor que corre em suas mãos aumentou consideravelmente. Isto é bom.
Conselho: Se sentir desconforto, peça ao seu Eu Superior para aumentar ou diminuir a temperatura.
13. Sintomas variados
Dores de cabeça, dores de costas, dores de pescoço, sintomas de constipação (chamada «constipação de vibração»), problemas digestivos, danos musculares, aceleração dos batimentos cardíacos, dores no peito, alterações no desejo sexual, dores nos membros, vocalizações ou movimentos de corpo involuntários. Há quem tenha que se defrontar e solucionar certos episódios da infância. Relaxe. São sintomas temporários.
14. Rejuvenescimento
Tornar-se-á cada vez mais leve à medida que for limpando o material emocional, libertando crenças limitadoras assim como bagagem pesada do passado. A sua frequência aumentou. Ama-se mais, assim como ama mais a vida. Comece a mostrar a perfeição que você realmente é.
15. Sonhos vivos
Por vezes, os sonhos são tão reais que acorda confuso. Também pode ter sonhos lúcidos, nos quais está no controle: você sabe que não está «sonhando»; o que está acontecendo é de alguma forma real. Muitos sonhos poderão ser místicos ou trazer mensagens. Lembrar-se-á daquilo que for importante para si. Não force nada. Acima de tudo, não tenha medo.
16. Acontecimentos que alteram completamente a sua vida
Morte, divórcio, mudança no trabalho ou de emprego, perda de casa, doença, e/ou outras catástrofes – por vezes, várias de uma só vez. Trata-se de forças que o obrigam a desacelerar, simplificar, mudar, reexaminar o que você é, assim como o que a sua vida lhe diz. Forças que não pode ignorar que o obrigam a desapegar-se, que o acordam para o amor e compaixão por tudo.
17. Libertação
Desejo de cortar com todos os padrões restritivos: empregos, estilos de vida consumistas e pessoas ou situações tóxicas. Necessidade de «se encontrar» e de encontrar o propósito da sua vida – Agora! Quer ser criativo e livre para ser aquilo que é, na verdade. Apetência para as artes e a natureza. Desejo de cortar com coisas e pessoas que já não lhe dizem nada.
Conselho: FAÇA-O!
18. Confusão mental e emocional
Sentimento de que precisa arrumar a sua vida, pois está uma confusão. Mas, ao mesmo tempo, sente-se caótico e incapaz de o fazer, de se concentrar. Veja o Ponto 45.
Conselho: Concentre-se no seu coração e ouça o seu próprio discernimento.
19. Introspecção, solidão e perda de interesse por atividades no exterior
Este estado apareceu de surpresa a muitos extrovertidos que, antes, se viam envolvidos em diversas atividades. Agora dizem: «Não sei por que, mas já não gosto tanto de sair como antes».
20. Manifestações de criatividade
Recepção frequente de imagens, ideias, música e outras inspirações criativas.
Conselho: Pelo menos registre estas inspirações, porque o Espírito está falando com você sobre como poderá preencher o seu propósito e contribuir para a regeneração do planeta.
21. Percepção de que o tempo está acelerando
Tem essa impressão porque sofreu muitas e frequentes alterações na sua vida. A quantidade de alterações parece estar aumentando.
Conselho: Repartir o dia em encontros e segmentos temporários aumenta o sentido de aceleração. Pode abrandar o tempo relaxando no momento presente e prestando atenção ao que tem em mãos, sem antecipar os acontecimentos. Abrande e diga para si mesmo que tem bastante tempo. Peça ajuda ao seu Eu Superior. Mantenha-se atento ao presente. Tente passar de uma atividade a outra. Centre-se no seu guia interior.
22. Premonição
Um sentimento de que algo vai acontecer que pode criar ansiedade.
Conselho: Não há nada com que se preocupar. As coisas acontecem mesmo, mas a ansiedade só lhe criará mais problemas. Não há nada a temer.
23. Impaciência
Sabe o que fazer, mas, por vezes, isso não ajuda. Quer resolver o que lhe parece estar no seu caminho. Reconhece que as incertezas são desconfortáveis.
Conselho: Aprenda a viver com incertezas sabendo que nada lhe aparecerá à sua frente, se não estiver pronto. A impaciência é, na realidade, uma falta de confiança, especialmente no seu Eu Superior. Quando focar o presente, verá milagres acontecerem.
24. Despertar
Talvez um interesse pelo Espírito surja, pela primeira vez, na vida. Uma chamada profunda para o significado da vida, para o seu propósito. Ligação espiritual e revelação. Um “constante desejo ardente” como lhe chama K.D. Lang. A vida mundana não preenche este vazio.
Conselho: Siga o seu coração, e o caminho ser-lhe-á mostrado.
25. Ser diferente dos outros
Um sentimento estranho de que tudo na sua vida parece novo e alterado, que deixou o seu eu antigo para trás. E deixou! Está muito maior que pode imaginar. E há mais para vir!
26. Ajudas de vários tipos
Aparecem «professores» em todo o lado, no momento certo, para ajudar à sua caminhada espiritual – pessoas, livros, palestras, filmes, acontecimentos, Mãe Natureza, etc. Estes «professores» podem parecer negativos ou positivos, mas, de uma perspectiva transcendente, são sempre perfeitos. Surgirá, precisamente, o que tiver que aprender.
Conselho: Lembre-se de que nunca receberemos mais do que aquilo que estamos preparados para lidar. Cada desafio apresenta-nos uma oportunidade para provarmos a nossa mestria na sua superação.
27. Compreensão súbita
Encontro de uma pista espiritual, que faz sentido para si e que lhe «toca» nos mais profundos níveis. Repentinamente, obtém uma perspectiva que nunca tinha considerado. Tem fome de mais. Lê, partilha os conhecimentos com outros, faz perguntas e vai ao fundo para descobrir quem é e porque está aqui. Corre o risco filosófico de se perguntar «Por que Existo?”.”.».
28. Rapidez de aprendizagem
Aprende depressa. Sente que está «captando» muito rapidamente.
Conselho: Lembre-se que as coisas lhe chegarão quando estiver pronto para lidar com elas. Não antes. Lide corajosamente com o que for surgindo e, assim, avançará rapidamente.
29. Presenças invisíveis
Algumas pessoas dizem que, à noite, se sentem rodeadas por seres, ou têm a sensação de serem tocadas ou de que «alguém» lhes fala. Por vezes, acordam. Outras pessoas sentem as órbitas oculares vibrarem. Estas vibrações são causadas pelas mudanças energéticas, depois de feita a limpeza emocional.
Conselho: Este é um assunto sensível, mas talvez se sinta melhor se, antes de adormecer, abençoar a sua cama e o espaço à sua volta. Adormeça, na certeza que está rodeado pelos mais magníficos seres espirituais e que está em segurança, ao cuidado de Deus. Não se culpe por ter medo de vez em quando.
30. Presságios, visões, números e símbolos
Vê coisas a que dá significado espiritual. Repara na sincronicidade dos números. Tudo tem uma mensagem se se der ao trabalho de reparar.
31. Intensificação de integridade
Reconhece que é tempo para viver e falar a sua verdade. Subitamente, parece-lhe importante ser mais autêntico, mais você mesmo. Talvez tenha que dizer «não» a pessoas a quem tentou agradar no passado. Achará intolerável manter-se num casamento, emprego ou lugar, que já não se coaduna com o que você é atualmente. Igualmente, talvez se dê conta de que já não tem nada a esconder ou segredos a manter. A honestidade torna-se importante em todos os seus relacionamentos.
Conselho: ouça o seu coração. Se o seu interior lhe disser para não fazer algo, fale alto e aja. Diga «não». Da mesma forma deverá dizer «sim» àquilo que considera válido. Deve arriscar-se a não agradar aos outros, sem culpas, de forma a atingir a soberania espiritual.
32. Harmonia com épocas e ciclos
Sente-se mais sintonizado com as estações do ano, fases da lua e ciclos naturais. Maior entendimento sobre o seu lugar no mundo. Uma forte ligação a Terra.
33. Desarranjos elétricos e mecânicos
Com você por perto, as luzes se apagam, o computador trava ou o rádio perde a sintonia.
Conselho: Chame os seus anjos ou guias para os arranjar, ou colocarem um campo protetor nas máquinas. Imagine o seu carro rodeado de luz azul. Aprenda a rir…
34. Aumento da sincronicidade
Se ocorre muitos pequenos milagres… espere por mais!
Conselho: Situações sincronizadas dizem-lhe que está agindo na direção certa ou fazendo as escolhas acertadas. O espírito usa a sincronicidade para se comunicar com você. Começou a viver os milagres diários. Veja ponto 30.
35. Desenvolvimento das habilidades intuitivas e alteração de estados de consciência
Pensar em alguém e imediatamente saber desse alguém. Mais sincronismo. Ter percepções internas sobre padrões ou acontecimentos passados. Ver o futuro, ter experiências fora do corpo e outros fenômenos físicos. Intensificação da sensibilidade e do conhecimento. Entender a sua própria essência e a dos outros.
36. Comunicação com o Espírito
Contato com anjos, guias espirituais e outras entidades divinas. Canalizar informação. Cada vez mais pessoas parecem estar recebendo esta oportunidade. Sentir inspiração e obter informação, que toma a forma de escrita, pintura, ideias, comunicações, dança, etc.
37. Sentimento de Unidade
Experiência direta de União. Conhecimento transcendente. Compaixão e amor por tudo o que vive. Compaixão desligada ou amor incondicional por tudo, o que nos leva a mais altos níveis de consciência e júbilo.
38. Alegria e benção
Um profundo e permanente sentido de paz e acompanhamento.
39. Integração
Torna-se mais forte e mais leve emocional, psicológica, física e espiritualmente. Sensação de alinhamento com o Eu Superior.
40. Viver o seu propósito
Sabe que está, finalmente, fazendo aquilo que o trouxe a Terra. Novas aptidões e dons estão emergindo, especialmente os de recuperação da saúde. A sua vida/trabalho está, agora, convergindo e começando a fazer sentido. Vai usar, finalmente, todas estas aptidões.
Conselho: ouça o seu coração. A sua paixão leva-o para onde deve estar. Deixe-se ir e pergunte ao seu Eu Interior: «O que queres que eu faça?» Preste atenção às sincronicidades. Ouça.
41. Sentir-se mais perto dos animais e plantas
Para algumas pessoas, os animais parecem ser mais «humanos» no seu comportamento. Os animais selvagens mostram menos medo. As plantas respondem ao amor e à atenção que você lhes dá, agora mais que nunca. Algumas até podem ter mensagens para você.
42. Visualização de seres de outras dimensões
O véu entre dimensões é cada vez mais fino, pelo que este fato não surpreende. Mantenha-se no seu posto. Dado que você tem mais poder do que imagina, não receie nada. Peça ajuda aos seus guias, no caso de sentir que escorrega para o medo.
43. Refinamento da visão
Visão de formas mais verdadeiras das pessoas; visão de pessoas queridas com uma face diferente – vida passada ou vida paralela.
44. Manifestação física de pensamentos e desejos
Tudo isto passa a ocorrer de forma mais rápida e eficiente.
Conselho: Controle os seus pensamentos. Pois todos eles são orações. Tenha cuidado com o que pede.
45. Hemisfério esquerdo confuso
As suas habilidades físicas, o seu saber intuitivo, os seus sentimentos e compaixão, a sua forma de sentir o corpo, a sua visão, a sua expressão, todos emanam do lado direito do cérebro. Para que esta parte do cérebro se desenvolva melhor, o lado esquerdo do cérebro deve «abrandar». Normalmente, a capacidade do hemisfério esquerdo de ordenar, organizar, estruturar, alinhar, analisar, rever, precisar, concentrar, resolver problemas e aprender matemática domina o nosso menos valorizado cérebro direito.
Daqui resultam: lapsos de memória, colocação de palavras na sequência errada, falta de habilidade ou falta de vontade de ler durante muito tempo, falta de concentração, esquecer-se do que ia dizer impaciência com formas lineares de comunicação (áudio ou escrita), dispersão, perda de interesse em investigar ou em informação complexa; sentimento de ser bombardeado com palavras, conversas e informação. Relutância em escrever. Por vezes sente-se «obtuso» e não tem interesse em analisar, viver discussões intelectuais ou investigar.
Por outro lado, pode se sentir inclinado ao que tem significado: vídeos, revistas com fotografias, trabalhos artísticos, filmes, música, escultura, pintura, estar com pessoas, dançar, jardinagem, andar a pé e outras formas de esforço muscular. Pode procurar informação espiritual ou até ficção científica.
Conselho: Se permitir que o seu coração e o lado direito cerebral o orientem, o cérebro esquerdo será ativado apropriadamente para o ajudar. Um dia, estaremos bem equilibrados, usando ambos os hemisférios com maestria.
46. Vertigens
Isto acontece quando não está estabilizado. Talvez tenha acabado de limpar uma grande carga emocional e o seu corpo esteja se ajustando ao seu estado mais «leve».
Conselho: «Aterre» comendo proteínas. Algumas vezes, os «alimentos que consolam» são os certos. Não rotule nenhum tipo de comida como boa ou má para si. Utilize a sua intuição para saber do que necessita em dado momento. Tire os sapatos e ponha os pés na relva, por uns minutos.
47. Quedas, acidentes, fraturas
O seu corpo não está estabilizado ou talvez a sua vida esteja desequilibrada. Talvez o corpo esteja lhe dizendo para abrandar, examinar certos aspectos da sua vida ou a resolver certos bloqueios. Procure o significado da mensagem.
Conselho: Caminhe na terra ou na relva; ou melhor, deite-se na grama com um cobertor por cima. Sinta a terra por baixo. Passeie na natureza. Abrande e preste atenção. Veja o que está a fazer. Sinta os sentimentos quando estes brotam. Fique no presente. Cerque-se de luz azul quando se sentir confuso.
48. Palpitações cardíacas
Um coração apressado geralmente é acompanhado por uma abertura. Só dura alguns momentos e quer dizer que o coração está se equilibrando depois de uma libertação emocional.
Conselho: Consulte o seu médico ou terapeuta sempre que for preciso ou não se sinta bem.
49. Crescimento rápido de cabelo e unhas
Significa que está sendo utilizada mais proteína no corpo.
50. Desejo de encontrar o (a) seu (sua) parceiro (a) certo (a)
Mais que nunca, a ideia de que podemos ter uma relação ideal parece mais desejada.
Conselho: A verdade é que devemos ser o tipo de pessoa que queremos atrair. Temos que gostar de nós e do lugar onde nos encontramos agora, antes de podermos atrair um parceiro mais «perfeito». O trabalho começa em casa: retenha o desejo por aquela pessoa no seu coração, mas sem apego. Espere que algum dia irá encontrar alguém que se ajuste mais a si, mas não mantenha expectativas de quem será e de como se passará. Centre-se, antes do mais, em limpar a sua vida e ser a pessoa que quer ser. Seja feliz agora. Goze a vida. Depois verá…
51. Memórias
Memórias de superfície, memórias de corpos, memórias suprimidas, imagens de vidas passadas e/ou vidas paralelas. Porque estamos a harmonizar e a integrar todos os nossos «eus», espere por alguma destas experiências.
Conselho: O melhor é prestar atenção só ao que lhe vem à mente. Deixe o resto, não analise tudo ao pormenor (senão ficará atolado de material antigo) e sinta os sentimentos conforme eles forem aparecendo. Peça ajuda aos seus guias.
Nota: A autora recomenda o bom senso para checar com seu médico certos sintomas, ao invés de permitir o desenvolvimento de doenças do coração ou diabetes, por exemplo. Use sempre seu bom senso!



Por Annarita
Traduzido por Anjo de Luz|Texto original: http://www.sunfell.com/symptoms.htm

Assistência espiritual numa visão maior


Desamparo, mendicância, crianças abandonadas, doentes sem assistência médica e psicológica, velhos desabrigados formam todo um contingente de irmãos necessitados de sobrevivência material/moral/espiritual.
O número sempre crescente de cristãos/espíritas vive sensibilizado pela dor alheia, sentindo em si a dor do semelhante, fazendo suas as lágrimas por ele derramadas. Ele, o espírita, é parte desta coletividade, e o que ela sente, o atinge doridamente; não pode ser de outra forma.
Muitas vezes passa pela nossa cabeça cristã o desejo de encontrar uma solução imediata para essas situações envolvendo irmãos e irmãs em humanidade, quando a todos desejamos a felicidade relativa que o mundo pode, apenas, oferecer.
Criar uma nova casa assistencial dotá-las das melhores condições para abrigar crianças e idosos, expressando a vivência da legítima caridade, leva ao candidato a cristão/espírita a pensar, falar e realizar assistência social.
Estão sempre sendo abertas aqui e ali obras assistenciais respeitáveis, com capacidade de aliviar muita dor e sofrimento, que aflige os menos dotados de recursos amoedados.
Quem se aproxima do Espiritismo logo compreende a necessidade de acercar-se do trabalho de assistência ao próximo, sem o que sua atuação de espírita fica em débito com a própria consciência, ainda mais quando logo compreende a significação da frase que é um verdadeiro slogan da Doutrina Espírita: "Fora da caridade não há salvação". Podemos aditar que não há mesmo!
Seres pensantes que somos, precisamos ter sempre em mente que até os impulsos nobres, partindo do coração, claro, merecem de nós todo um cuidado observador, ampla consideração e detalhado exame.
O espírita, reencarnacionista por excelência, sabe que a dor não bate, jamais, em porta errada, sabe sempre o endereço certo, para lá se encaminhando na primeira oportunidade, porque a lei de ação e reação a impele, inexoravelmente, procurando fixar nos painéis mentais da criatura comprometida, sua responsabilidade diante da circunstância infeliz por que passa. O espírita procura conciliar o que estuda e ouve na doutrina que o abençoa, levando-o a mergulhar fundo nas causas do sofrimento do semelhante, nele vendo e sentindo um irmão carente. Visita-o sempre mentalmente, com isso ilumina-se, interiormente.
Há aqueles que exteriorizam toda uma feição espírita, sem, no entanto, movimentar-se pelo caminho da caridade de forma segura, o que evidencia uma falta de convicção nos postulados religiosos esposados.
Precisamos ser espíritas e nos olharmos como tais, dessa maneira aproveitando a oportunidade de desfrutamento de uma doutrina tão transformadora em todos os aspectos espirituais.
Ser espírita é ter por hábito a fidelidade ao dever, o respeito às tarefas dos outros, é ser portador de discrição e sinceridade, mostrar-se um cultivador da fé inabalável e da humildade, com tolerância às falhas alheias, é saber cultivar a fraternidade e a solidariedade, mesmo que possa perceber a conspiração do mal que poderá atingi-lo. Nessas horas renuncia às ambições, alegra-se espontaneamente e enche o coração de esperança e renovação, acreditando que tudo quanto for seu a si virá, segundo a Vontade Soberana do PAI.
Assistência social e filantropia nunca serão deixadas de lado, pelo contrário, serão sempre um lábaro a tremular no céu dos corações espiritistas.
O Espiritismo tem por objetivo a estruturação moral do homem, tendo sido esta a grande iniciativa de JESUS, que procurou o mais possível cercá-lo pelas legítimas verdades evangélicas, as quais induzem amorosamente às manifestações do amor a si mesmo e ao próximo, o que redundará no amor ao CRIADOR.
Joanna de Ângelis é bem clara e sugestiva quando conceitua a vivência do Espiritismo com assistência social e esta com aquele, porque, em verdade, não pode haver essa doutrina, entregue a nós por JESUS com muita lágrima, sangue e dor, sem aquela que é a sua base indestrutível e a sua complementação - a caridade.
Somos permanentemente chamados a sermos hoje melhores do que ontem, e amanhã melhores do que hoje, introjetados que todos estamos no processo evolutivo que nos levará à perfeição espiritual.
Sendo tudo aqui exposto levado em consideração, chega-se infalivelmente à conclusão que nós espíritas precisamos estudar de forma eclética as várias angulações da existência, a fim de encontrarmos as origens da vida no seu aspeto global, para que, só desta maneira, nos entreguemos a um trabalho de apoio a nós mesmos, fortalecendo-nos pela renovação, e apresentando sempre um índice crescente de melhoras morais/espirituais, a todo instante.
O Espiritismo, ao mesmo tempo em que ampara o presente, o agora, estimula a busca mais amena, mais feliz do futuro, proporcionando meios e recursos ao homem vivamente interessado pela sua reforma de comportamento e de valores.
Jamais abandonemos um trabalho de assistência material, no entanto, a assistência moral e espiritual possui transcendental importância, tem total primazia em nossas vidas, pelo fato dela poder resistir a toda intempérie característica do nosso mundo.
Sabemos da resistência que se encontra nas fileiras espiritistas, quando se insinua a busca do estudo, do aprendizado priorizando a doação material. Esta expressão da caridade não tem existência real sem estudo, compreensão doutrinária, único e infalível meio para nos situarmos harmonicamente dentro da vida.
Pensarão muitos, afervorados que se acham ao preceito básico do Espiritismo - fazer o bem -, que essa prática não deve ser trocada pelo impositivo do estudo.
Acontece que, no nosso entendimento, a verdadeira reunião de tratamento que poderá chegar à cura, é a de estudos doutrinários. Frequentando-a, o candidato ao desfrute de saúde e de bem estar moral/espiritual, passará a conhecer o porquê da vida, a causa de suas dores e das dores alheias, capacitando-se desta forma para uma existência mais feliz. Conhecer a raiz da doença não é a primeira e principal iniciativa de todo médico ao receber seus pacientes?
Na assistência social não devemos esquecer a necessidade de converter corações ao bem, ao trabalho, ao controle emocional, ao conhecimento mediante o estudo, à pureza de sentimentos, sem os quais o carente social não se revestirá de fortaleza interior para novo rumo imprimir à sua vida.
Certa mulher untou os pés de JESUS com perfume de rara fragrância, sendo advertido por Judas. Que fosse o dinheiro gasto no perfume aplicado na prática da caridade material aos pobres. Não percebia o equivocado apóstolo que, aquela mulher transformada pela palavra de JESUS, já vivenciava o nobre sentimento da gratidão. Possivelmente ouvira falar da cura dos dez leprosos, quando só um voltou para agradecer.


Joanna De Ângelis
Psicografia de Divaldo P. Franco
Livro Dimensões da Verdade, páginas 49 a 52

Livraria Espírita Alvorada - Editora. (Artigo publicado originalmente em Reformador / FEB - janeiro de 2001)

Crianças - soldados



Transição planetária 
A Terra passa por uma transformação muito grande, com problemas imensos, e precisa modificar as pessoas que são o fulcro das dificuldades.
Transformar pessoas quer dizer modificar estruturas e consequentemente converter milhões, que ainda estão na ignorância, em seres imbuídos do sentido de verticalização da evolução espiritual.
Esse momento que o planeta passa é difícil e está diretamente ligado com as dificuldades que os seres inferiores imprimem nas pessoas. Esses seres inferiores são os Espíritos desencarnados e os encarnados que não desejam que a humanidade progrida e se liberte das garras do mal.
Uma coisa puxa a outra e entendemos que a Terra ainda é um planeta de Provas e Expiações por que a sua população é atrasada e, em contrapartida, sua população é de nível inferior por ser um planeta atrasado. As exceções existem e são a esperança que temos na melhoria de nossas condições.
Está em andamento o processo de modificação deste planeta para ser o local de Regeneração, onde os Espíritos poderão encarnar para cumprir missão de desenvolvimento espiritual e não mais para resgatar débitos do passado.
Nesta ebulição generalizada vemos que milhares ainda procuram apenas a sua sobrevivência passando sobre os outros, utilizando-se das pessoas, despercebidos que estão no mundo para melhorar suas condições e não para apenas usufruir benesses.
Segundo o prêmio Nobel da Paz de 2014, o ativista Kailash Satyarthi, um símbolo da luta contra a exploração infantil, cerca de 500 mil crianças-soldados estão em atuação pelo mundo. Muitos grupos armados convocam as crianças de suas regiões para integrar suas fileiras e muitas outras crianças são sequestradas, feitas prisioneiras de grupos rivais e obrigadas a carregar armas. Elas são obrigadas a lutar, matar e morrer, sem que tenham qualquer chance de escolha. Se uma criança de cinco anos não consegue matar um oponente de uma milícia no Iraque, é enterrada viva.
O financiamento global para a educação caiu significativamente no mundo nos últimos quatro anos. Educação eficiente significa maiores possibilidades de vitória contra as investidas do crime no aliciamento dessas crianças.
Satyarthi disse que atualmente 58 milhões de crianças no mundo não frequentam a escola. Na falta de educação de qualidade, a erradicação do trabalho infantil, escravidão, aliciamento por milícias surgem e estão intimamente ligados.
A Organização Internacional do Trabalho (OIT) mostra que 168 milhões de crianças realizam trabalho infantil. Dessas, 150 milhões são crianças com idades entre 5 e 14 anos e outras 5 milhões são mantidas como escravas.
O que fazer para melhorar esse quadro? A evolução é lenta e a dificuldade para que todos os países do mundo tenham acesso à alta tecnologia e à educação avançada, passa pelos acertos entre as múltiplas diferenças sociais e espirituais dos povos que ainda lutam para sair da barbárie.
O caminho é longo, mas a marcha constante fará com que todos tenham acesso a fontes inesgotáveis de sabedoria que promoverá a ordem social e a extinção das diferenças entre as pessoas.
A extinção gradual das guerras e dos conflitos de toda sorte, a reencarnação de Espíritos bafejados pela luz divina, a substituição dos dirigentes mal intencionados, a educação, a aprendizagem no bem, entre outras ferramentas utilizadas pela Bondade Divina, fará com que este planeta passe pelas transformações necessárias e alcance o status de Regeneração.
Lutar pelo bem e pela disseminação da palavra de Jesus no mundo é o trabalho de todos os que entendem que a Terra será a morada dos bons, pois Ele nos afirmou que "Os mansos herdarão a Terra".

Luiz Marini - 12-06-2015
http://www.cebezerrademenezes.com/pt/index.

A Justiça Divina



É bom à gente esclarecer isso sempre por aqui!

"A Justiça Divina, segundo a concepção espírita, não é ditada por um tribunal remoto e de tipo humano, mas exclusivamente pela consciência do réu."

José Herculano Pires
Professor e estudioso da Doutrina Espírita.

Em O Livro dos Espíritos, 3º livro, cap. I - A Lei Divina ou Natural, vemos algumas perguntas e respostas de Kardec com os Imortais que nos esclarecem sobre a Justiça Divina. Para haver Justiça, deve haver leis, e onde se encontram estas leis? Quais são as mais confiáveis? Quem passa estas leis? Qual o caminho/guia mais seguro que Deus ofereceu ao homem?

621. Onde está escrita a lei de Deus?

— Na consciência’.

621. a) Desde que o homem traz na consciência (1) a lei de Deus, que necessidade tem de que lhe revelem?

— Ele a tinha esquecido e desprezado: Deus quis que ela lhe fosse lembrada.

622. Deus outorgou a alguns homens a missão de revelar a sua lei?

_ Sim, certamente; em todos os tempos houve homens que receberam essa missão. São Espíritos superiores, encarnados com o fim de fazer progredir a Humanidade.

623. Esses que pretenderam instruir os homens na lei de Deus não se enganaram algumas vezes e não os fizeram transviar-se muitas vezes através de falsos princípios?

— Os que não eram inspirados por Deus e que se atribuíram a si mesmos, por ambição, uma missão que não tinham certamente os fizeram extraviar; não obstante, como eram homens de gênio, em meio aos próprios erros ensinaram frequentemente grandes verdades.

624. Qual é o caráter do verdadeiro profeta?

– O verdadeiro profeta é um homem de bem, inspirado por Deus. Podemos reconhecê-lo por suas palavras e por suas ações. Deus não se serve da boca do mentiroso para ensinar a verdade.

625. Qual o tipo mais perfeito que Deus ofereceu ao homem para lhe servir de guia e de modelo?

— Vede Jesus.
 (O Livro dos Espíritos, Allan Kardec)
_____________
Aquele que diz ser ou pretende ser Espírita, que a risco deve seguir e cumprir os mandamentos confirmados por Jesus Cristo nosso Modelo e Guia, deve ter em mente que não adianta tentar burlar o mundo quando não podemos burlar a nós mesmos...
Sonegar impostos, espalhar histórias falsas e difamatórias, armar ponto de queda para o próximo, sabotar algo ou alguém, nada disso adianta, pois a nossa consciência nos acompanhará para onde quer que formos. Inclusive quando desencarnamos, é ela que dá forma ao Espírito, que na realidade não a tem.
Quando conseguimos viver aqui na Terra com a consciência repousando em travesseiro tranquilo, pois nada existe que nos faça pensar que estamos no erro, assim seremos nós quando estivermos do outro lado da vida.
Se erramos, o erro ficou marcado em nossa consciência, e chegada a nossa hora veremos que de nada adianta correr, brigar e erra por coisas efêmeras, enquanto a realidade da vida não é encontrada no meio físico ou material e sim no meio espiritual, através dos sentimentos que nutrimos por alguém e aqueles que este alguém nutre por nós, o quanto conseguimos amar, respeitar e tolerar e o quanto conseguimos nos melhorar dentro da oportunidade misericordiosa que Deus nos deu!
Que possamos viver com a certeza de que não haverá um juiz de becas, um recinto cheio de promotores, nem advogados... E sim a nossa consciência e tudo o que nela ficou marcada!
As imagens das pessoas que amamos e aquelas que tínhamos débitos e não conseguimos cumpri-los, as imagens dos nossos atos bons e dos nossos atos ruins, todos da nossa consciência, aparecerão de forma clara para o Espírito, que não mais terá as distrações e vicissitudes da Terra, que muito distraem e não permitem que a consciência tome o 1º lugar na vida do Ser Humano.
Que possamos refletir e fazer o melhor sempre!
Em nossa consciência está a Justiça Divina!

José Herculano Pires
Professor e estudioso da Doutrina Espírita. 

SÍNDROME DO PÂNICO NA VISÃO ESPÍRITA




Divaldo Franco: (...) O nome pânico vem do deus Pan, que na tradição grega apresenta-se com metade do corpo com forma humana e a outra com modulagem caprina. O deus Pan era guardador das montanhas da Arcádia e, quando alguém adentrava nos seus domínios, ele aparecia, produzindo no visitante o estado de pânico, palavra essa derivada do seu nome. Portanto, é um distúrbio muito antigo.
Invariavelmente a psicogênese do ponto de vista espírita encontra-se na consciência de culpa do paciente por atos perturbadores praticados na atual existência ou em existências pretéritas, o que proporciona um comportamento inseguro, desconfiado. Trata-se de alguém que busca esconder-se no corpo para fugir dos problemas que foram praticados anteriormente. Quando irrompe a síndrome do pânico, a sensação é terrível, porque é semelhante à da morte. É eminentemente um distúrbio feminino, embora atinja também, segundo os especialistas, o sexo masculino.
Segundo estou informado, faltando, naturalmente, confirmação científica, a síndrome do pânico nunca matou ninguém durante o surto, entretanto, aquela sensação horrorosa é praticamente igual à de morte.
Que fazer? Orar. Ter a certeza de que ela é de breve curso, procurar respirar profundamente, acalmar-se, vincular-se a Deus, rogar a proteção dos Espíritos nobres. Assim, lentamente, dá-se uma descarga de adrenalina, procedente das glândulas suprarrenais, e o indivíduo refaz-se, passando aquele período mais doloroso, fazendo simultaneamente a terapêutica com um psiquiatra e, de acordo com a psicogênese, um psicólogo ou psicanalista. Nada obstante, eu sugeriria pessoalmente que a pessoa procurasse também as terapêuticas espíritas, quais as das boas palavras, das reuniões doutrinárias, do conhecimento de si mesmo, dos passes ou bioenergia, da água magnetizada e, por extensão, do socorro que os bons Espíritos propiciam através das reuniões mediúnicas de desobsessão, que dispensam a presença dos pacientes.

Fonte: GRUPO DE ESTUDO ALLAN KARDEC

Vida e Valores (O valor da oração para a vida)



Existe uma saída importante para o rio da vida nos levar ao mar, ao estuário da paz.
Todas as vezes que queremos sair do nosso burgo e tomar a grande estrada, percorremos caminhos. Quando queremos sair do riacho, chegar ao rio e encontrar o oceano, existem meios.
No nosso caso de vida interior, de vida espiritual, sempre que queiramos sair um pouco de nós mesmos e ir ao encontro da Divindade, desse estuário de paz, de amor, de ventura, nós o faremos através da oração.
É tão importante, é tão significativo, é tão indispensável orar, como é importante e significativa a alimentação de cada dia, o comer diário. Afinal de contas, o que significa oração? O que quer dizer orar?
Orar é um verbo diretamente saído do latim. Orare. E orare, significa falar. Todas as vezes que falamos, oramos.
Não é à toa que os pregadores, os conferencistas são chamados de oradores. E porque eles oram, não estão fazendo preces obrigatoriamente, estão falando.
E, por que é que nós chamamos a prece de oração?
Porque nesse caso, nós estaremos falando com o nosso Criador. Orar significará para nós, falar com Deus.
E é tão importante falar com Deus. Mas, Deus não está em toda parte? Não está em nossa intimidade e na intimidade das coisas? Por que há necessidade de nos posicionarmos, para falar com Deus?
Em verdade, Deus está em toda parte; Ele é onipresente. Deus sabe de todas as coisas. Ele é onisciente. Nada obstante, somos nós que temos necessidade de começar a buscar o contato com Deus.
Nós é que temos necessidade de nos aprimorar para esse grande encontro no estuário da vida. Somos nós que, quando oramos, aprendemos, pouquinho a pouquinho, a nos acercar do nosso Criador, a nos apresentar a Ele, a identificar a nossa necessidade, identificar a nossa carência, a nossa mazela.
Por causa disto, nós aprendemos a orar. É tão importante orar. Jesus Cristo quando esteve entre nós no mundo, nos deu lições importantíssimas a respeito da oração. Disse-nos Ele em dado momento:
Quando orardes, não façais como os hipócritas, que oram nos cantos das praças, no meio das ruas, para que sejam vistos pela multidão. Esses, já obtiveram com isso seu galardão.
Então, Jesus Cristo nos está chamando a atenção para que não tenhamos no ato de orar, o exibicionismo dos hipócritas. Eles querem gritar nas praças, nos cantos das ruas, mas não é porque desejam falar com Deus, eles querem receber os elogios, pelo modo como oraram, como falaram, como discursaram.
Quando Jesus Cristo propõe que não façamos como os hipócritas, é porque a oração tem sentido quando as coisas se passam em nossa intimidade.
A oração que verte pelos nossos lábios, precisa vir das nossas entranhas. Por mais simples que seja, por mais sensível que seja, vem do nosso íntimo.
Então Jesus nos disse assim:
Quando orardes, entrai para o vosso aposento e orai em secreto, uma vez que o Pai que vê tudo que se passa em secreto, vos atenderá.
Minha gente, como é importante saber isso com Jesus. Como é importante ter essa consciência cristã de que as coisas verdadeiras são aquelas que se passam em nossa intimidade.
Quando Cristo nos pede para procurar o nosso aposento íntimo, não é o aposento físico, não é a nossa sala, o nosso quarto de dormir obrigatoriamente, é o nosso mundo íntimo.
Quando lemos o Evangelho de Lucas, no capítulo VI, Jesus nos diz que as coisas boas que o homem fala provém do bom tesouro do seu coração, como as coisas ruins advêm do mau tesouro do seu coração. Esse coração intimidade.
Então, quando nos propõe orar em secreto, orar no íntimo, entrar para o nosso aposento, Ele está nos dizendo da importância das ações íntimas, das ações da nossa interioridade.

* * *

A oração nos traz uma outra reflexão. Como é que nós deveremos orar? Se é um gesto da nossa intimidade, será que as posições exteriores nos ajudam a orar? Possivelmente não.
Não vale a pena pensar que, para que oremos, tenhamos que estar de pé, assentados, de joelhos, deitados. As posições exteriores não interferem na grandeza da nossa conversa com Deus.
Se tivéssemos por obrigação que orar de joelhos, como poderia orar de joelhos alguém que estivesse acamado, operado, com uma enfermidade deformante e que não pudesse se ajoelhar?
Tudo que não pode ser aplicado em todas as circunstâncias, não pode ser uma verdade Divina. A verdade Divina se aplica em qualquer circunstância.
Por causa disso, vale a pena nós pensarmos que, para a oração, não precisamos de gestos exteriores. Poderemos até fazê-los, mas isso não vai pesar no conteúdo da nossa oração.
Para falarmos com Deus, não haverá nenhuma necessidade de roupas especiais. Eu tenho que estar de rosa, de verde, de branco, de azul, de preto. Nada disso importa. Os panos que usamos por fora, não resolvem a questão da sintonia de dentro.
Para que nós oremos, nós precisamos apagar a luz, acender a luz, colocar fundo musical, tirar o fundo musical? Nada disso interfere.
Embora, nada disso atrapalhe. Se o indivíduo se sente melhor orando com o fundo musical, que ele o ponha. Se se sente melhor orando com luz acesa ou com luz apagada, nenhum problema.
O que tem que ser importante, para quem ora, é a sua postura interior, é a sua atitude interior.
Diz-se que arar é orar. Arar é o símbolo do trabalho no campo. Então, a questão é que trabalhar é orar.
Imaginemos como ora um médico cuidando do seu paciente, à cabeceira do seu enfermo, lidando com ele na tentativa de salvar-lhe a vida, de devolver-lhe a saúde. A integração com os poderes Superiores da vida é uma oração.
Imaginemos a oração daquele homem lavrador, que põe a semente na terra para que germine. Germinada, possa atender à mesa e dar o pão às pessoas. Com que unção aquele homem coloca as suas sementes na terra. É a oração.
Oração também é aquele esforço da professora. Da professora primária, aquela que toma a criança nos seus primeiros anos, para abrir-lhe a mente e retirá-la da escuridão, dar-lhe claridade ao raciocínio, apresentando-lhe o mundo, a vida, as coisas.
Para que alguém se submeta a esse esforço de tirar água da pedra, tem que ser alguém que ore. O trabalho de uma professora é um ato de oração, é um gesto oracional.
Nós encontraremos no trabalho das mães, ao educar seus filhos, dos pais, a orientar sua prole, o gesto oracional.
Como nós sabemos que toda ocupação útil é trabalho, todas essas coisas maravilhosas, que se realizam em nome do bem, em benefício das criaturas, da Humanidade, será um trabalho.
Alguém que leia um bom livro, alguém que faça um alimento, que prepare um prato, alguém que passe um café, que varra uma casa, que cure um doente, que defenda um necessitado, que advogue a causa dos simples, alguém que planta, que colhe, que vende. Todos esses trabalhos, feitos honestamente, representam oração.
Nosso relacionamento com Deus, a nossa possibilidade de sair desse recanto de nossa existência, e ganharmos o mar aberto do amor Divino, pode ser conseguido através de coisas simples: uma pausa, um silêncio íntimo, e a nossa emissão para Deus.
Como os nossos pensamentos são de origem eletromagnética, naturalmente que o nosso pensamento será elevado ao mais alto que tenhamos conseguido impulsioná-lo.
E é por causa disso que verificamos a importância e a beleza de orar. Abrir com essa chave os arquivos Divinos, abrir com essa chave os arcanos de Deus e com ela, comungar com Deus, saídos do nosso subúrbio de necessidades, para a grande metrópole do amor de Deus.

Transcrição do Programa Vida e Valores, de número 135, apresentado por Raul Teixeira, sob coordenação da Federação Espírita do Paraná. Programa gravado em janeiro de 2008. Exibido pela NET, Canal 20, Curitiba, no dia 23.11.2008.
Em 13.04.2009.

Desobsessão



Terapêuticas diversas merecem estudos para a supressão dos males que flagelam a Humanidade. Antibióticos atacam processos de infecção, institutos especializados examinam a. patologia do câncer, a cirurgia atinge o coração para sanar o defeito cardíaco e a vacina constitui defesa para milhões. Ao lado, porém, das enfermidades que supliciam o corpo, encontramos, aqui e além, as calamidades da obsessão que desequilibram a mente.

Para lá das teias fisiológicas que entretecem o carro orgânico de que se vale o Espírito para o estágio educativo no mundo, é possível identificar os quadros obscuros de semelhantes desastres, nos quais as forças magnéticas desajustadas pelo pensamento em desgoverno assimilam forças magnéticas do mesmo teor, estabelecendo a alienação mental, que vai do tique à loucura, escalando por fobias e moléstias-fantasmas. Vemo-los instalados em todas as classes, desde aquelas em que se situam as pessoas providas de elevados recursos da inteligência àquelas outras onde respiram companheiros carecentes das primeiras noções do alfabeto, desbordando, muita vez, na tragédia passional que ocupa a atenção da imprensa ou na insânia conduzida ao hospício. Isso tudo, sem relacionarmos os problemas da depressão, os desvarios sexuais, as síndromes de angústias e as desarmonias domésticas.

Espíritos desencarnados e encarnados de condição enfermiça sintonizam-se uns com os outros, criando prejuízos e perturbações naqueles que lhes sofrem a influência vampirizadora, lembrando vegetais nobres que parasitos arrasam, depois de solapar-lhes todas as resistências.

Refletindo nisso e diligenciando cooperar na medicação a esses males de sintomatologia imprecisa, imaginamos a organização deste livro (1), dedicado a todos os companheiros que se interessam pelo socorro aos obsidiados — livro que se caracteriza por absoluta simplicidade na exposição dos assuntos indispensáveis à constituição e sustentação dos grupos espíritas devotados à obra libertadora e curativa da obsessão'>desobsessão. Livro que possa servir aos recintos consagrados a esse mister, estejam eles nos derradeiros recantos das zonas rurais ou nos edifícios das grandes cidades, cartilha de trabalho em que as imagens (2) auxiliem o entendimento da explicação escrita, a fim de que os obreiros da Doutrina

Espírita atendam à obsessão'>desobsessão, consoante os princípios concatenados por Allan Kardec.

Nenhuma instituição de Espiritismo pode, a rigor, desinteressar-se desse trabalho imprescindível à higiene, harmonia, amparo ou restauração da mente humana, traçando esclarecimento justo, seja aos desencarnados sofredores, seja aos encarnados desprovidos de educação íntima que lhes sofram a atuação deprimente, conquanto, às vezes, involuntária.

Cada templo espírita deve e precisa possuir a sua equipe de servidores da obsessão'>desobsessão, quando não seja destinada a socorrer as vítimas da desorientação espiritual que lhe rondam as portas, para defesa e conservação de si mesma.

Oferecemos, desse modo, estas páginas despretensiosas aos que sintam suficiente amor pelos que jazem transviados nas trevas das ilusões e paixões em que se consomem, circunscritos aos marcos estreitos da ignorância, na Terra e além da Terra, nos tormentos e desvarios do “eu”. E entregando-as aos amigos que nos possam acolher o desejo de acertar e avaliar conosco a extensão e a gravidade do problema, recordemos, reconhecidamente, junto de todos eles, que o Espiritismo é o Cristianismo Restaurado e que o pioneiro número um da obsessão'>desobsessão, esclarecendo Espíritos infelizes e curando obsidiados de todas as condições, foi exatamente Jesus.

(1) O Espírito André Luiz convidou os médiuns Waldo Vieira e Francisco Cândido Xavier a psicografarem com ele o presente volume, responsabilizando-se ambos pelos capítulos de números ímpares e pares, respectivamente.

(2) As fotografias que ilustram este volume representam gentileza dos companheiros de ideal e pertencem aos arquivos da Exposição Espírita Permanente da C. E. C., de Uberaba, Minas

domingo, 21 de fevereiro de 2016

SEQUÊNCIA



          Se desejas alcançar a caridade e a ciência nos cimos do progresso, observa a produção da árvore sábia e simples.
          De início, a sementeira.
          Mais tarde, o crescimento.
          Depois, a floração.
          No fim, a frutescência.
***
          Não pedirás, assim, à roseira nascitura que se cubra de flores, simplesmente porque surja a teus olhos. Oferecer-lhe-ás água e adubo, carinho e defesa, para que te possa retribuir na tela das horas com o ramo perfumado a enriquecer-te o jardim.
***
          Não reclamarás da criança a interpretação da cultura clássica, apenas porque demonstre vivacidade e inteligência. Dotá-la-ás, como é justo, com os talentos da escola e da educação, para que, no curso dos dias, te satisfaça a exigência.
***
          Lembra-te da casa nobre começando nos alicerces, e não te desmandes na pressa, a fim de que a tua existência se ajuste à gloriosa sinfonia da vida.
***
          Ninguém trairá os imperativos do tempo, no campo da evolução.
***
          As próprias constelações e os próprios átomos obedecem à lei do ritmo e procedem segundo as disposições da ordem no seu mecanismo certo.
***
          Recordemos, desse modo, quanto temos recebido dos Benfeitores da Vida Mais Alta, em tolerância e renúncia, até abordarmos a faixa de entendimento em que hoje nos situamos e, endereçando à retaguarda as mãos incansáveis e amigas, saibamos ajudar e socorrer, perdoar e amparar, infatigavelmente, na certeza de que, apenas assim, repetindo indefinidamente as lições do roteiro, sob a inspiração da bondade e da paciência, é que atingiremos, por nós mesmos, a auréola da sabedoria e do amor que nos aguarda ante a luz dos sóis sublimados e infinitos.


Pelo Espírito Emmanuel
Francisco Cândido Xavier

De “Inspiração” 

A fé


Quando se fazem referências à fé há os que afirmam que a fé é uma coisa doentia, covarde. Própria dos fracos e oprimidos, que necessitam dela para poderem sobreviver.
Ou então, que fé é a recompensa imerecida pelo que você ainda não fez.
Examinando a história de todos os tempos, verificamos que é exatamente o oposto.
Somente homens de extremada fé foram capazes de realizações que assombraram os seus iguais.
Graças à fé, os primitivos cristãos enfrentaram as dores dos mais horrendos suplícios e a morte, entre cânticos e preces, motivo mesmo que arrastava outros tantos a buscarem aqueles ensinos do Carpinteiro, que assim movimentava homens e mulheres na direção dos Céus.
Movido pela fé e seu acendrado amor ao semelhante, Frei Damião de Vesteur buscou a ilha abandonada de Molokai, tornando-se um igual entre hansenianos, à época caçados como animais e simplesmente jogados naquele local.
Mais do que lhes ser o enfermeiro dos corpos, ele lhes foi o médico das almas. Encontrou um rico havaiano que todos diziam haver desaparecido, ali, infectado.
A amargura o tomara por inteiro e ele acariciava, de forma constante, um revólver, afirmando que um dia, quando não mais suportasse o rol das dores, ele haveria de buscar a morte por suas próprias mãos.
Damião lhe falou com tamanha fé dos objetivos da vida e da dor, da vida que não perece para além da tumba que, um dia, recebeu de presente, envolvido em embrulho improvisado, a arma daquele homem.
O bilhete que acompanhava o instrumento, laconicamente afirmava: Estou morrendo e morro com dignidade. Não necessito mais dele. Você me convenceu.
Nos relatos evangélicos, é o próprio Jesus que, mais de uma vez, em Se referindo às curas operadas por Ele, afirmava aos curados: Tua fé te salvou.
A fé é chama Divina que aquece o Espírito e lhe dá forças para tudo superar: mágoas, decepções, revoltas, traições e até mesmo a morte.
Para a aquisição do equilíbrio, é imprescindível a fé, para que o homem sobreviva ao clima de desespero que irrompe de todo lado, ante as problemáticas sempre mais afligentes que invadem a Humanidade.
O homem não pode prescindir da valiosa contribuição da fé.
Alberto Santos Dumont, ao verificar a aplicação do seu invento na guerra, amargurou-se e buscou a morte pelo suicídio.
Alfredo Nobel em descobrindo que a dinamite fora usada para extermínio de povos, entrou em profunda tristeza e assim ficou até a sua desencarnação.
Se eles tivessem fé, poderiam ter aguardado e verificado no tempo, com a marcha do progresso, os benefícios dos seus inventos colocados à bem da Humanidade.
Alimentar a fé é um dever do homem, dever que não deve ser deixado para mais tarde, pois a fé é necessária para sustentar a própria paz.
*   *   *
A fé é virtude espontânea e conquista intelectual.
Sua função é fornecer forças para solucionar problemas, não afastar o seu portador dos testemunhos necessários para a sua evolução.
A fé é, em suma, um tesouro de inapreciável valor que caracteriza os homens nobres, no serviço da Humanidade.

______________________

Redação do Momento Espírita, com base em entrevista (com Lobão), publicada na
 revista Isto é, de 22.04.1998; no cap. 22 do livro Convites da vida e no 
verbete , do livro Repositório de sabedoria, v. 1, ambos pelo Espírito
 Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. Leal.

O Labirinto da Solidão


A vida assemelha-se a uma estrada cheia de encruzilhadas, dependendo do rumo que se segue, encontra-se a luz ou a sombra.
E há um labirinto onde alguns podem se perder, onde entram por medo do mundo lá fora, por medo de se mostrar, de se expor, que alguém saiba que não são perfeitas: é o labirinto traiçoeiro da solidão.
Entram nele sem perceber, buscando evitar atritos e decepções ou para esquecer
humilhações; quase sem sentir, vão se isolando dos amigos, da sociedade, às vezes, até da própria família. Quando se dão conta estão trancafiados numa gaiola invisível, porém poderosa.
Sair dessa gaiola nem sempre será tarefa simples, será necessário uma boa dose de
perseverança e força.
Em primeiro lugar é preciso olhar-se com atenção, reconhecer-se, encarar de frente virtudes e limitações, o que exige uma certa dose de coragem.
É preciso olhar os outros, buscando ver primeiramente as qualidades positivas e aprender a elogiar. Quando se aprende a valorizar as qualidades alheias, também aprendemos a perceber melhor as nossas.
É preciso aprender a dizer que se ama que se admira as pessoas, mesmo quando se sabe que esse sentimento não será recíproco.
O que faz a diferença é reconhecer e falar o que se sente sem estar tão preocupado com a resposta dos outros.
Abrir o coração com serenidade e confiança e estar preparado para qualquer tipo de retorno.
E, acreditem, quando se entra no labirinto da solidão, pode-se até conseguir evitar alguns revezes, mas em troca, deixa-se de viver de fato.
E viver só vale a pena se for para valer.
E viver só será pleno se o coração estiver livre de ressentimentos e o espírito sereno.

(A.D.)